O programa cultural denominado “Há festa na aldeia” inclui oito espetáculos, gratuitos, em todas as freguesias do concelho de Penacova, entre maio e setembro.

Publicidade

A Câmara Municipal de Penacova organizou um programa cultural, que vai decorrer em maio, junho, julho e setembro, com oito espetáculos, em oito aldeias, com grupos e artistas locais.

Trata-se de uma iniciativa que vai ao encontro de uma das prioridades daquele município de “levar a oferta cultural a todo o território do concelho”, disse hoje, na conferência de imprensa de apresentação do programa, o presidente da Câmara de Penacova, Álvaro Coimbra.

“Esta oferta cultural será 100% preenchida com grupos locais e artistas locais. É uma forma também de valorizarmos os nossos grupos e as nossas associações”, sublinhou.

O primeiro espetáculo acontece no dia 29 de maio, nos Fornos da Cal, em Casal de Santo Amaro, na freguesia de Penacova, com a fadista Mariana Assunção.

No dia 05 de junho, atua o Grupo Cantar Travanca do Mondego, no Largo Alminhas, em Agrêlo, na freguesia de Figueira de Lorvão.

Já o Coro Vox et Communio atua no dia 19 de junho, no Largo de São Sebastião, no Roxo, freguesia de Lorvão.

O Grupo de Concertinas do Carneiro atua no Largo da Igreja, no dia 03 de julho, na União de Freguesias de Friúmes e Paradela.

No domingo seguinte, dia 10 de julho, atua a Filarmónica da Casa do Povo de Penacova, no parque infantil de Travanca, em Travanca do Mondego (União de Freguesias de Oliveira do Mondego e Travanca do Mondego).

A programação de julho encerra no dia 24, com o grupo de Cavaquinhos da Rebordosa, na Associação do Cerquedo, em Cerquedo, Freguesia de Carvalho.

Em setembro, no dia 11 a Filarmónica Boa Vontade Lorvanense dá um concerto junto à Casa de António José de Almeida, em Vale da Vinha (União das Freguesias de São Pedro de Alva e São Paio de Mondego), encerrando com um espetáculo.

Por fim, no dia 18 de setembro, atua a fadista Joana Barra, num espetáculo que vai decorrer no Largo Principal, em Cácemes, freguesia de Sazes do Lorvão.

Os espetáculos, que decorrem aos domingos, pelas 17:00, acontecem em maio, junho, julho e setembro, com interregno no mês de agosto.

Considerando o período “complicado” de pandemia provocada pela covid-19, esta iniciativa é também uma forma de “ajudar [os grupos de artistas] a promover as suas atividades e a poderem subir ao palco fazendo o que de melhor sabem”, frisou o autarca.

O “Há festa na aldeia” vai funcionar de modo a “descentralizar os espetáculos por todas as freguesias”.

Álvaro Coimbra deu ainda nota de que a ideia é que nos próximos anos, o programa “Há festa na aldeia” continue “noutras aldeias do concelho e com outros grupos”.

Publicidade
Artigo anteriorTécnicos de emergência pré-hospitalar vão fazer greve no Rally de Portugal sem serviços mínimos
Próximo artigoOrdem dos Médicos alerta para os 400 mil utentes que brevemente vão ficar sem médico de família na região Centro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui