A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública espera “milhares de trabalhadores” na manifestação nacional de hoje, em Lisboa, para contestar a atualização salarial de 0,9% para este ano, que poderá causar perturbações no funcionamento de alguns serviços.

Publicidade

A manifestação da Frente Comum, que se realiza a uma semana da votação final global da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) no parlamento, arranca cerca das 14:30 do Marquês do Pombal, rumo à Assembleia da República.

“Estamos à espera da milhares de trabalhadores de todo o país em Lisboa”, disse à Lusa o coordenador da Frente Comum, Sebastião Santana.

Para os trabalhadores poderem participar na manifestação, a Frente Comum emitiu “vários avisos prévios de greve”, que poderão ter impacto no funcionamento dos serviços públicos durante o dia de hoje, indicou à Lusa Sebastião Santana.

“São avisos prévios de 24 horas que englobam, de uma maneira geral, todos os trabalhadores da Administração Pública e, apesar de não ser uma greve nacional, mas sim uma manifestação, haverá perturbações, sobretudo nas escolas”, afirmou o líder sindical.

A manifestação foi anunciada em 26 de abril, numa cimeira de sindicatos da Frente Comum, afeta à CGTP, em resposta ao resultado da reunião com o Governo, que manteve uma atualização salarial de 0,9% para este ano, apesar do agravamento da inflação.

Publicidade
Artigo anteriorRali de Portugal: Competição ‘a sério’ começa hoje com oito especiais
Próximo artigoComunicado sobre aplicação do Glifosato na freguesia de Lorvão, no Dia Mundial da Abelha

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui